Este espaço é reservado para troca de textos e informações sobre a História do Brasil em nível acadêmico.

sexta-feira, 15 de julho de 2011

** Jornais revelam o Rio de Janeiro no período democrático

 
 

Jornais revelam o Rio de Janeiro no período democrático

Fonte: © FAPERJ Elena Mandarim
 Divulgação
       
     Livro mostra panorama de uma
 época em reportagens de 1946 a 1964

Há muitas formas de retratar a história e de relembrar uma época. O professor Jorge Ferreira, professor do Programa de Pós-Graduação em História, da Universidade Federal Fluminense (UFF), entendeu que por meio da análise de jornais seria possível documentar como a cidade do Rio de Janeiro viveu a experiência democrática (1946-1964) entre a gestão de Getúlio Vargas e a ditadura militar. Cientista do Nosso Estado, da FAPERJ, ele reuniu pesquisas sobre o tema, realizadas pelo grupo de pesquisadores que coordena, e publicou o livro O Rio de Janeiro e a experiência democrática nas páginas dos jornais: ideologias, culturas políticas e conflitos sociais (1946-1964). "Nas páginas do livro, a preocupação é a de recuperar ideias, imagens, representações, acontecimentos; enfim, a história daquela época sob diferentes prismas, seja dos trabalhadores, dos comunistas, dos brizolistas, dos lacerdistas, dos sindicalistas, dos funcionários públicos e dos empresários, entre outros", relata Ferreira.
O pesquisador conta que, neste período, 13 jornais eram produzidos no Rio de Janeiro, cinco deles da chamada grande imprensa. "Atores de todas as representações sociais apareciam nas páginas dos jornais. Por uma análise minuciosa das fontes jornalísticas, conseguimos delinear o panorama político e socioeconômico da época", afirma.
No decorrer do livro, que foi oficialmente lançado no dia 16 de junho, são desenvolvidos dez temas importantes para a sociedade carioca no período. No capítulo assinado pela pesquisadora Alessandra Ciambarella, por exemplo, a discussão traz à luz as repercussões da transferência da sede da capital do Rio de Janeiro para Brasília, que ocorreu durante o governo de Juscelino Kubitschek (1956-1960).
Em outro artigo, de autoria da doutoranda Ana Maria da Costa Evangelista, mostra-se a importância do Serviço de Alimentação da Previdência Social (Saps) para os trabalhadores da cidade. Na Praça da Bandeira, os restaurantes populares ofereciam comida balanceada aos trabalhadores. E para o lazer, a área continha bibliotecas e discotecas, entre outras facilidades.
Já a doutoranda Claudia Maria de Farias destaca em seu artigo como os Jogos da Primavera (Olimpíadas exclusivamente femininas, idealizadas por Mario Filho, editor e proprietário do Jornal dos Sports) foram pensados para transpor o enorme preconceito que as mulheres esportistas sofriam.
O pesquisador Ricardo Antonio Souza Mendes analisa de que maneira a revolução cubana foi interpretada na imprensa conservadora, observando os diferentes sentimentos sobre Fidel Castro. "Ao analisarmos os jornais da época, fica claro que o democrata revolucionário Fidel Castro tinha, no começo, a simpatia da imprensa brasileira. Mas quando se declarou comunista, passou a ser questionado e a sofrer críticas duras", relata Ferreira.
No artigo de sua autoria, o pesquisador aborda a vida pública de Carlos Lacerda, político de extrema direita que governou o estado da Guanabara. "A análise mostra como a imprensa de esquerda reagiu ao impacto das inúmeras obras realizadas por Lacerda na cidade", diz.
O último capítulo também analisa a abordagem da imprensa em determinado episódio. Michele Reis de Macedo mostra como a mídia carioca cobriu o ocorrido no dia 25 de fevereiro de 1964, em que a Frente de Mobilização Popular, liderada por Leonel Brizola, foi impedida de realizar um comício, por conservadores da organização anticomunista, conhecida como Movimento de Mobilização Democrática. Nas análises, procura-se entender o panorama de radicalização política que culminou com o golpe militar, em 1º de abril de 1964.
Segundo Ferreira, sob a perspectiva dos jornais do Rio de Janeiro, outros assuntos foram também abordados, entre eles, a maneira como a imprensa popular descrevia os problemas vividos pela cidade; o impacto social produzido com o lançamento do satélite soviético Sputnik (1º satélite artificial lançado ao espaço); a relação da construção do Maracanã e a construção de uma identidade nacional; e a atuação sindical do Partido Comunista Brasileiro (PCB) para assegurar direitos trabalhistas.
O pesquisador destaca, ainda, que no âmbito do projeto foi criado um site voltado para os professores das escolas do ensino médio da rede pública e privada. "Nele, disponibilizamos vários artigos sobre o período 1945-1965, além de fotos, vídeos, bibliografias, documentos e dissertações de mestrado e doutorado" conclui. Os interessados no assunto podem conferir no endereço eletrônico www.brasilrepublicano.com.br

© FAPERJ – Todas as matérias poderão ser reproduzidas, desde que citada a fonte.

__._,_.___
Atividade nos últimos dias:
    **Este grupo foi criado com o intuito de promover releituras da HISTÓRIA DO BRASIL e tão-somente  HISTÓRIA DO BRASIL.  Discussões sobre a situação atual: política, econômica e social não estão proibidas, mas existem outros fóruns mais apropriados para tais questões.

                                                                                                    Por Favor divulguem este grupo e grato pelo interesse .
 
Visite o Blog do nosso Grupo:http://www.grupohistoriadobrasil.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Arquivo do blog

Seguidores do Grupo de Estudos da História do Brasil - GEHB.

Livraria Cultura - Clique aqui e conheça nossos produtos!