Este espaço é reservado para troca de textos e informações sobre a História do Brasil em nível acadêmico.

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

** Casas importadoras ajudaram a transformar a cidade de Santos

 
Casas importadoras ajudaram a transformar a cidade de Santos

No final do século XIX, importador foi figura importante na cidade de Santos

A cidade de Santos ao final do século XIX não foi somente um intermediário do comércio do café com o mundo, mas também recebeu uma figura histórica muito importante: o importador. Em sua pesquisa pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP, a pesquisadora e professora Carina Marcondes Ferreira Pedro mostra que as casas importadoras tiveram papel fundamental na cidade.
Os importadores recebiam produtos vindos da Europa e vendiam para comerciantes, que os revendiam para outras cidades do estado, como São Paulo, ou mesmo em Santos. Segundo a pesquisadora, o contexto do período foi propício para essa atividade, pois o estado de São Paulo se sustentava com a produção de café. No entanto, a sua indústria era insipiente e, conforme cresciam as cidades enriquecidas com o café, mais produtos eram importados da Europa.
Nesse processo, as casas importadoras colaboraram na transformação de Santos. "Eles (os importadores) intervieram muito na cidade, na organização das ruas. Por atuarem em Santos, acabavam tendo grande influência", comenta Carina.
A pesquisadora aponta que uma das intervenções deles veio pela exigência de investimentos no porto. Em 1892, é inaugurado o primeiro trecho do porto de Santos; antes havia pontes de madeira onde atracavam os barcos e navios, e depois elas foram trocadas por um acostamento linear em amurada. As pontes de madeira tinham o empecilho de impedirem a entrada de embarcações maiores.
Antes do porto, os importadores colaboraram para a instalação de bondes ao longo da década de 1870. Eles reivindicaram na Câmara Municipal a iluminação pública da cidade e também agiam localmente nas ruas e quarteirões onde ficavam seus escritórios, como ao alargar as ruas para melhorar a passagem dos transportes. Carina explica que as mudanças visavam o próprio benefício deles, mas acabava também atingindo a população: "Era uma atividade (dos importadores) que precisava das melhorias para se realizar".
Além disso, por precisarem trabalhar com o porto, eles impulsionaram o desenvolvimento de Santos para o litoral. "A cidade de Santos antes era mais localizada no centro antigo, em Valongo. Depois de 1905, o perfil da região muda, expandindo a cidade para o litoral, com mais pessoas morando perto da praia", conta.
Perfil dos importadores
Na pesquisa, a professora detalhou quem era os donos das casas importadoras, as atividades que exerciam e os produtos que importavam. Ela constatou que quase todos os importadores no período estudado (de 1870 a 1900) eram estrangeiros, de diferentes países da Europa, como Inglaterra, França e Alemanha. "Por virem de fora e trabalharem aqui, eles conheciam profundamente a economia europeia e local. Os brasileiros não tinham condições de fazer isso porque não possuíam contatos suficientes lá fora", observa Carina.
Os importadores traziam de tudo do velho continente: de produtos alimentícios, como bebidas alcoólicas, bacalhau e presuntos, até materiais de construção, matéria prima como carvão, ou mesmo móveis. As embarcações que os traziam faziam uma rota longa, passando por vários portos europeus, o que acabava diversificando os produtos trazidos.
A pesquisadora enfatiza que quando eles chegavam no porto nem tudo era levado para a cidade de São Paulo ou outras cidades do estado; uma parte ficava em Santos. "Na cidade, ficava muitos produtos alimentícios, como vinhos", exemplifica Carina. Ela notou esse comércio interno a partir de anúncios de jornais da época, como o Diário de Santos.
A pesquisa é fruto da dissertação de mestrado de Carina pelo Departamento de História da FFLCH, sob orientação da professora Heloisa Barbuy. Além de jornais, a pesquisadora consultou almanaques antigos e obras de propagandas feitas por editoras comerciais da época. Dado o papel dos importadores e a quantidade de produtos que chegavam no país pelo porto, a pesquisadora destaca o papel desempenhado pela própria cidade de Santos. "Santos, portanto, não foi somente um porto de passagem ou somente um porto do café", conclui.
Mais informações: carinamfpedro@usp.br ou carinamfpedro@yahoo.com.br
  
__._,_.___
Atividade nos últimos dias:
        **Este grupo foi criado com o intuito de promover releituras da HISTÓRIA DO BRASIL e tão-somente  HISTÓRIA DO BRASIL.  Discussões sobre a situação atual: política, econômica e social não estão proibidas, mas existem outros fóruns mais apropriados para tais questões.


                                                                                                        Por Favor divulguem este grupo e grato pelo interesse .
     
    Visite o Blog do nosso Grupo:http://www.grupohistoriadobrasil.blogspot.com

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

    Arquivo do blog

    Seguidores do Grupo de Estudos da História do Brasil - GEHB.

    Livraria Cultura - Clique aqui e conheça nossos produtos!