Este espaço é reservado para troca de textos e informações sobre a História do Brasil em nível acadêmico.

domingo, 8 de agosto de 2010

GEHB ** Bandeiras do Brasil e dos estados foram adaptados às reviravoltas da vida nacional

 
Bandeiras do Brasil e dos estados foram adaptados às reviravoltas da vida nacional

Silvia Pacheco
Fonte: CORREIO BRAZILIENSE  Publicação: 08/08/2010

Imagine o nadador César Cielo, após ganhar a medalha de ouro nos últimos Jogos Olímpicos, subindo ao pódio com uma bandeira nas cores vermelho, azul e branco, como a da França, e, ao fundo, tocando o Hino Nacional. Esse cenário chega a ser delirante, mas consegue representar a importância de uma bandeira para uma nação. Símbolos como hinos, bandeiras, selos e brasões não são idealizados apenas por capricho dos poderosos. Eles refletem uma realidade histórica; são a crônica viva de um povo e o reforço da sua identidade com o país. Porém, são poucos os brasileiros que conhecem as origens e evoluções desses símbolos. "Essas representações contam a história do país e dos estados, e nos ajudam a entender o momento e o porquê do seu surgimento", explica o geógrafo da Universidade Estadual Paulista (Unesp) de Rio Claro Tiago Berg, que investigou a evolução desses símbolos. Dentro do trabalho, o pesquisador analisou essas representações nas bandeiras para saber como os estados — e o país — eram refletidos.

O trabalho de compilacão do material revelou-se uma importante contribuição para a memória do país. Ao contrário do que ocorre em locais como os Estados Unidos, a Alemanha e a Austrália, não há no Brasil um acervo centralizado que facilite a consulta aos símbolos regionais. Mesmo investigando em fontes oficiais, Berg detectou uma ausência de rigor na elaboração das bandeiras, muitas vezes em desacordo com as prescrições das legislações estaduais. Em alguns casos, foi necessário corrigir os desenhos e colorir os símbolos históricos. Desse mergulho surgiu uma perspectiva diferente para enxergar a história do Brasil.

A partir daí, o geógrafo descobriu que as bandeiras dos estados litorâneos têm muito mais elementos históricos do que geográficos e os estados interioranos, o contrário. "Quando se tem uma ausência histórica profunda, nos quais a colonização foi recente, surgem símbolos que representam o espaço geográfico daquele estado", justifica Berg.

Um bom exemplo de bandeira feita em cima de elementos geográficos é a bandeira do Distrito Federal. Desenhada pelo heraldista Guilherme de Almeida, a bandeira é fiel às cores nacionais. O retângulo branco representa a paz e a harmonia. Dentro, foi colocado um quadrado verde que remete ao formato do Distrito Federal. Inserida nele, há uma cruz amarela, com flechas nas pontas, que representa três elementos: os índios brasileiros, a vocação de um estado cristão e, por último, a questão geopolítica, pois a cruz também representa os quatro pontos cardeais, ou seja, aponta para todo o território nacional. "Essa bandeira mostra que o poder do Distrito Federal, por deter a capital do país, emana para os quatro cantos do país", interpreta Berg.

Contudo, segundo o geógrafo, quase todas as bandeiras dos 27 estados são inspiradas na do Brasil. O losango dentro de um retângulo e a esfera armilar(1) são os símbolos da bandeira nacional mais repetidos pelos estados. "Mato Grosso do Sul, Santa Catarina e Ceará têm o mesmo desenho da bandeira brasileira. Utilizam a forma (losango inserido no retângulo) e a esfera armilar, muito usada nas bandeiras do Brasil Império", aponta Berg. Outros estados, como São Paulo, Goiás, Piauí, Maranhão e Bahia, porém, contam com a influência da bandeira dos Estados Unidos, seguindo o padrão de 13 listras, em duas cores, e um quadrado no canto superior esquerdo, com estrelas.

Mudanças
Antes da bandeira nacional conhecida atualmente, o Brasil teve outras quatro, todas ligadas ao período colonial e imperial (veja infografia). Naquela época, as cores tradicionais dos Braganças eram o azul, o branco e o vermelho, mas Dom Pedro I preferia usar o verde. Já a cor amarela era utilizada pela família dos Habsburgos, à qual pertencia a princesa Leopoldina, mulher do imperador. O losango, por sua vez, era o formato do brasão das mulheres. "Isso leva a interpretar que o desenho da bandeira brasileira foi uma homenagem à união do casal", diz o geógrafo. Mesmo durante o Império, porém, as cores verde e amarela não foram associadas às famílias aristocráticas, e sim a elementos naturais.

A popularidade dos temas naturais, contudo, não se deve apenas à exuberância da flora e da fauna do país. De acordo com Berg, essa opção tira de foco os temas sociais, porque a natureza é passiva, não tem história. "Ao se colocarem de lado as menções a temas conflituosos do passado, como a escravidão e as revoluções, é mais fácil criar uma ideia de unidade", pondera o pesquisador.

O professor de história da Universidade de Brasília (UnB) Estevão Martins afirma que "as representações cívicas exprimem uma visão simbólica do grupo social com a política do Estado". Ele valida a iniciativa do geógrafo Tiago Berg e defende a volta da educação cívica nas escolas. "Todo mundo acha que fazer educação cívica é ser retrógrado. Isso, em parte, é devido ao fato de que quiseram enfiar goela abaixo uma espécie de pieguismo cívico no passado, e isso teve um efeito nocivo de pular para o extremo oposto", alfineta. "A educação cívica é fazer com que o brasileiro saiba a que Brasil ele pertence e o que compõe esse país", conclui. Tiago Berg espera também que seu levantamento caia nas graças do Ministério da Educação e seja incluído nos livros de história e geografia.

1 - Geometria planetária
A esfera armilar reproduz a abóboda celeste que envolve a Terra, representada por um pequeno globo central. Os círculos que a cruzam paralelamente são chamados de armilas, referentes às linhas de referência da geometria planetária. A faixa transversal que corta a esfera representa o Zodíaco, zona celeste pela qual transitam o Sol, a Lua e os planetas. Ela era empregada nas escolas gregas onde se ensinava a arte da navegação. Nas bandeiras portuguesas, representa tanto a navegação quanto a expansão do império português.


 - ()
__._,_.___
Atividade nos últimos dias:
        **Este grupo foi criado com o intuito de promover releituras da HISTÓRIA DO BRASIL e tão-somente  HISTÓRIA DO BRASIL.  Discussões sobre a situação atual: política, econômica e social não estão proibidas, mas existem outros fóruns mais apropriados para tais questões.

                                                                                                        Por Favor divulguem este grupo e grato pelo interesse .
     
    Visite o Blog do nosso Grupo:http://www.grupohistoriadobrasil.blogspot.com

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

    Arquivo do blog

    Seguidores do Grupo de Estudos da História do Brasil - GEHB.

    Livraria Cultura - Clique aqui e conheça nossos produtos!