Este espaço é reservado para troca de textos e informações sobre a História do Brasil em nível acadêmico.

sexta-feira, 30 de julho de 2010

GEHB ** Enc: Escolas da Rede Estadual de Ensino do Paraná receberão o livro Folclore no Paraná [1 Anexo]

 

Eu, Jorge Antonio de Queiroz, e Zélia Bonamigo informamos aos educadores que nesta quinta-feira, 29 de julho de 2010, recebemos os exemplares da segunda edição, revista e atualizada, do livro Folclore no Paraná. Na condição de organizadores, além de responsáveis pela Introdução e pelo Capítulo I (NOTAS SOBRE O FOLCLORE, com a contextualização do tema) do livro de 600 páginas, apresentamos as mais variadas manifestações culturais do povo do Paraná, com ênfase no litoral. As escolas da Rede Estadual de Ensino do nosso Estado irão usufruir deste trabalho. Os professores terão um material rico em desenhos explicativos, fotos coloridas, partituras, inclusive, um CD com 25 músicas folclóricas, noções da língua Tupi, entre outros.

Mauricio Requião, secretário de Educação (janeiro/2003 a junho/2008), demonstra satisfação e contentamento na apresentação do livro, como se vê a seguir:
"Um presente aos educadores
A reedição deste livro de Inami Custódio Pinto sobre o folclore no Paraná é uma homenagem ao autor e um presente a todos os paranaenses. O professor Inami, estudioso de visão aguda, pesquisador apaixonado, peregrinou pelo vasto campo da cultura, alcançando o coração do povo, seu espírito criador, suas expressões sempre renovadas de vida e arte.
O olhar esclarecido e despido de preconceitos do professor Inami Custódio se completou no contato com as gentes de todos os rincões do Paraná, afeitos à expressão por meio da dança, da música, da literatura. Essas manifestações do folclore paranaense são muito bem compreendidas pelo professor Inami, que partilhou com o povo suas lendas, crenças e costumes, experimentando o valor desses saberes em cada traço de sua cultura. Dessa longa e feliz caminhada, resultou, dentre outros, o valioso estudo que compõe este livro.
A importância do folclore está descrita em inúmeros documentos. Na carta do Folclore Brasileiro, publicada em 1993, o folclore é tratado como parte integrante do legado cultural, da cultura viva, e meio de aproximação entre os povos e de afirmação de sua identidade cultural. Por isso, entendemos que é dever do Estado valorizar a prática da cultura tradicional e promover a pesquisa sobre suas expressões, colaborando para a difusão desses saberes, sobretudo no ambiente escolar.
Concordamos com Inami Custódio quando diz que "o estudo do folclore é arma potentíssima nas mãos do educador". Assim, desejamos que esta obra – tão adequadamente organizada pelos pesquisadores Zélia Maria Bonamigo e Jorge Antonio de Queiroz e Silva –, publicada pela Secretaria de Estado da Cultura e reeditada e distribuída a todas as bibliotecas das escolas da rede pública de ensino pela Secretaria de Estado da Educação, seja intensamente utilizada por nossos professores e estudantes.
Precisamos agir para que o folclore não seja transformado em mercadoria, visível apenas quando transformado em bem de consumo para turistas. Antes, o folclore simboliza nossa complexa experiência social e coletiva e deve ser entendido em toda sua extensão e valorizado em sua expressão criativa e vivificadora".






1 de 1 foto(s)
Atividade nos últimos dias:
        **Este grupo foi criado com o intuito de promover releituras da HISTÓRIA DO BRASIL e tão-somente  HISTÓRIA DO BRASIL.  Discussões sobre a situação atual: política, econômica e social não estão proibidas, mas existem outros fóruns mais apropriados para tais questões.

                                                                                                        Por Favor divulguem este grupo e grato pelo interesse .
     

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

    Arquivo do blog

    Seguidores do Grupo de Estudos da História do Brasil - GEHB.

    Livraria Cultura - Clique aqui e conheça nossos produtos!